X

Fale Conosco:

Aguarde, enviando contato!

CLAUDEMIR FONTENELE

Para conseguir bons resultados o comércio precisa ser criativo, ter produtos com qualidade, bom atendimento e saber reduzir custos, estratégia que vale também para o pequeno comércio. É o que prova Claudemir Fontenele, dono de uma lanchonete no bairro carioca de Copacabana

CLAUDEMIR  FONTENELE

Claudemir Fontenele Brito vive no Rio há 15 anos. Aos 20 deixou sua pequena cidade no interior do Ceará, chamada Carnaubal, com cerca de 17 mil habitantes e uma economia baseada na agricultura. Lá, ajudava o pai na lavoura. Seu primeiro emprego no Rio foi de raspador de cana, um ofício nas lanchonetes que vendem caldo de cana. Há quatro anos arrendou uma loja, em um animado bairro carioca, Copacabana. Uma das vantagens de sua lanchonete – chamada Panda, nome do urso originário da China. Um parêntesis: o nome Panda da loja de Claudemir seguramente resulta do fato dos fundadores serem chineses. Bom , Claudemir rapidamente aprendeu o ofício e conseguiu se transformar em um bem sucedido comerciante. Nesta entrevista ao coisasdocomercio.com.br ele mostra que para vender mais, o comerciante dever procurar reduzir custos, sem diminuir a qualidade dos produtos que vende e saber atender bem seus clientes.

 

Coisas do Comércio -  Claudemir,   quando  você passou a ser o responsável pela lanchonete, o que encontrou e o que você modificou na rotina da loja?

Claudemir -  A primeira preocupação foi melhorar ainda mais a qualidade das mercadorias que vendemos. A qualidade já era boa, mas agora que eu estava sozinho, procurei melhorar ainda mais. Mas não só isso, procurei melhorar o atendimento e a imagem do Panda.  Claro, isso visando aumentar nossas vendas.  Do outro lado, dei muita atenção para a redução dos custos, primeiro procurando identificar na nossa operação onde havia desperdícios.

Olha um exemplo de desperdício: a água. Conseguimos fazer uma enorme economia com medidas  muito simples. Em conversa com alguns amigos, descobri um pequeno aparelhinho que instalei nos bicos das torneiras. Uma coisa simples, mas que reduz o desperdício. Em uma loja como a nossa, gasta-se muita água e, claro, o custo é alto para uma empresa pequena como a nossa.  Bem, comprei e adaptei os aparelhinhos, mas também passei a treinar mais os funcionários mostrando a eles como podemos deixar nossos copos, pratos, talheres  ou qualquer outro equipamento bem limpos sem desperdiçar a água, que custa caro. Ocutra medida foi o aproveitamento da água já usada, que passamos a usar, por exemplo, para lavar o chão ou a calçada.

Com todas essas medidas, hoje consumimos menos  e economizamos  entre 30%  e 40% no pagamento da água.

Coisas do Comércio -  Teve outra medida para reduzir custos?

Claudemir - A energia. Instalei em todos os pontos de luz essas lâmpadas de led. O resultado foi tão bom que até eu custei a acreditar. E, novamente, treinando o pessoal. Por exemplo, não deixar a geladeira aberta além do tempo necessário. Como o Panda fica aberto 24 horas,  pode ocorrer de alguém deixar uma lâmpada acesa desnecessariamente pela manhã. Novamente, isso se corrige com treinamento.

CLAUDEMIR  FONTENELE

Coisas do Comércio - Você fez algum curso de gerenciamento? Como apareceram esses cuidados?

Claudemir - Fiz um curso do Sebrae que me ajudou. Tive a visita de vários técnicos do Sebrae que também me ajudaram. Mas aprendi muita coisa na prática, pensando sempre no que estava errado, procurando o melhor caminho pra gastar menos, conversando com muita gente. Por exemplo, o aparelhinho das bicas de água, descobri em conversas  com amigos que tiveram o mesmo problema.

 

Coisas do Comércio - O que você pensa sobre o  treinamento dos funcionários?

Claudemir - Você não pode deixar de treinar seus funcionários. Vou dar um exemplo: quando vejo que algum deles está fazendo alguma coisa errada, desperdiçando alimento na hora do preparo de um suco ou desperdiçando energia, enfim o que seja, faço uma conversa separada com ele e  explico como aquilo deve ser feito. Faço menos reuniões e mais conversas individuais. Treinar, conversar com o funcionário é muito importante.

 

Coisas do Comércio -  Qual a composição da sua clientela? O endereço do Panda é uma esquina na boca de uma das estações do metrô de Copacabana, uma área de muitos turistas, não só nos grandes eventos, como Carnaval ou os fogos do Ano Novo. Você vende mais para quem?

Claudemir – É verdade, vem muito turista aqui comer um salgadinho, um sanduíche ou uma refeição. Nós servimos refeições também – o prato que tem mais saída é o yakisoba. Apesar disso, a maior parte dos nossos clientes é de brasileiros – uns 70%.

 

Coisas do Comércio – Você tem um tratamento especial para os estrangeiros?

Claudemir – Nós tratamos todos os clientes da mesma forma,  atendendo todos bem, inclusive, é claro, no caso dos  clientes estrangeiros também. Mas a maioria deles é de latinos americanos, grande parte de  argentinos. Assim, é mais fácil. Quando chega um que só fala inglês, damos o cardápio em inglês. Isso facilita muito, o cardápio em inglês.

 

Coisas do Comércio – Então você tem três tipos de clientes. Os moradores próximos do Panda, os estrangeiros e os usuárdos ios do metrô que passam pela loja. Você e seus funcionários conhecem bem cada um deles?

Claudemir – Nós conhecemos o suficiente. A maior parte, como já disse, é de brasileiros e, nesse faixa, a maior parte é de moradores  próximos de nós. Então, quando eles entram, geralmente a gente já sabe o gosto deles, a gente já sabe o que oferecer. Com aqueles que vêm pela primeira vez, demoramos mais tempo oferecendo alternativas. Também não é difícil tratar com eles.

 

Coisas do Comércio – Estar praticamente na saída do metrô ajuda?

Claudemir – Ajuda. Essa estação do metrô tem um movimento muito grande. É o dia todo gente entrando e saindo. E muitos deles param para comer  alguma coisa. O metrô ajuda bem no nosso faturamento.

 

Coisas do Comércio – Nessas 24h que sua lanchonete fica aberta, quais são os horários de maior venda?

Claudemir –  Na hora do café, entre seis e nove horas; no almoço, de  meio dia até umas três horas: e, por fim, no período de cinco até umas oito horas.

 

Coisas do Comércio – Vender refeição em lanchonete dá lucro? O que vende mais, refeição, salgadinhos, sanduíches ou bebidas?

Claudemir  - As refeições ajudam muito, mas a margem de lucro não é tão boa quanto os salgados e  sanduíches. O produto mais vendido é o salgado acompanhado de refresco, principalmente quando está em promoção.

 

Coisas do comércio – Uma última pergunta:  qual o salgadinho que o carioca gosta mais?

C laudemir -  O carioca gosta muito de coxinha e joelho.